Arquivo do mês: janeiro 2013

A criatura é definitivamente maior que o criador

E foi-se as duas primeiras apresentações de “Cerimônia do Adeus”. A famigerada Alice em seu retorno para o quarto que é sua gaiola/casa/masmorra/motel. Não se sabe ao certo. Eu ainda estou tateando em lidar com seu retorno. Digerindo junto com … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Como chegar – Casa Contemporânea

A Casa Contemporânea, local onde acontecerá as apresentações de: “Réquiem para um rapaz triste”, “Bicha Oca”, “DesAMAdor” e “Cerimônia do Adeus”, fica localizado próxima a Cinemateca. Na região da Vila Mariana. Se for de carro: Av. Paulista + Rua Domingos … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Rindo para não chorar

Eu quero chorar mas não consigo. É assim mesmo..tensão pré estréia. Medos de que os erros sejam maiores que os acertos. Insegurança da exposição, do desnudamento, de revelar mais do que deveria. De ficar exposto no que eu não disse. … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

desAMAdor

De todos os meus “filhos” que vão a cena semana que vem. Meu trabalho em cima dos textos de Fabrício Carpinejar é o mais frágil. Desejado a tanto tempo e nascido, assim prematuro, no meio das víboras Alice (“Réquiem para … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Réquiem para um rapaz triste + Cerimônia do Adeus

Para comemorar os 10 anos da peça “Réquiem para um rapaz triste” que põe no foco minha amiga Alice, elaborei uma continuação. Não, não me equilibro no salto. Mas quem mandou eu atender o público que queria vê-la em cima … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

A reestreia da Bicha Oca

Seu Alceu volta a São Paulo, depois de ter passador por Salvador (BA) e outras cidades baianas, Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Santos (SP). O trabalho estreou por aqui em meados de 2009 e agora volta em sua versão definitiva. Com … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Eternas são as nuvens

por Hilda Lucas Para onde vai tudo que se vive? Para onde vai a mágica de certos instantes? A comunhão que se viveu, a cumplicidade de dividir tempo, espaço, experiências inaugurais? Para onde vão o carinho, a parceria, a entrega? … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário