Arquivo do mês: dezembro 2011

Não precisamos ser amados

O texto abaixo trata-se de um trecho da entrevista concedida pelo autor britânico Mike George, em função do livro “Os 7 mitos  sobre o amor – Uma viagem da mente ao fundo da alma”, para a revista “Bons Fluídos” de … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 2 Comentários

Meu primeiro natal

Não me lembro bem que me disse um dia que o sentido do natal é renascimento. Acreditei e nem quis ir atrás de outra verdade, pois gostei dessa “desculpa” para comemorar a data, e acho bonito ter um dia para … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

Dedeco Macedo

A primeira vez que ouvi falar dele, me pareceu pouco provável que eu me conectasse com suas singularidades. Não gosto de apelidos, não gosto de pessoas arrogantes  e também não guardo boas recordações dessa gente oriunda do signo de escorpião … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 3 Comentários

O amor que a vida traz

por Martha Medeiros Você gostaria de ter um amor que fosse estável, divertido e fácil. O objetivo desse amor nem precisaria ser muito bonito, nem rico. Uma pessoa bacana, que te adorasse e fosse parceira já estaria mais do que … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 2 Comentários

Obsceno abandono

Achei recentemente um livro (Obsceno abandono) na biblioteca que me chamou muito atenção pela similaridade com o universo da personagem da peça “Réquiem para um rapaz triste”. Eu que penso numa continuação, acho nas palavras de Marilene Felinto material farto para … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

(quase tudo) sobre minha mãe

    Conversando com uma amiga, que está sofrendo por causa do amor que não consegue mensurar e domar, e por isso fenece dia pós dia, embriagada da (não) possibilidade do outro. Esse outro que mais parece uma miragem, uma … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 4 Comentários

O amor não mora mais aqui

Esse ano eu quase morri. E tudo mudou ao meu redor. Refiz o olhar de maneira mais cruel e pessimista. Refiz os meus dias de maneira menos colorido. Refizeram meus dias sem que eu quisesse, ou projetasse. Reviram minha história … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 3 Comentários