Arquivo do mês: dezembro 2010

Os parceiros de 2010

O teatro me trouxe muitas coisas boas, incluindo pessoas. Amigos, companheiros, amantes, parceiros, admiradores, apoiadores, incentivadores e agitadores culturais. É diversa a classificação. É ele (o teatro) o responsável por eu ter resignificado, muitas das minhas relações. Tudo em função … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

Eu aqui e você ai

“é natural que seja assim. Você ai e eu aqui” … me pergunto se agora você estará na praia; … me pergunto aonde você está dentro de mim; … me pergunto porque você não chega de alguma forma; … me … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

Insistir sem fé nenhuma

(…) Não vou tomar nenhuma medida drástica  a não ser continuar. Tem coisa mais autodestrutiva do que insistir sem fé nenhuma? Me dá um desprezo profundo pela nossa dor mediada,pelas nossas rejeições amorosas, nossas tentativas inúteis, mas tão sinceras de … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

tarde

Por Marcelo Pires Ontem à tarde, na rua, vi um aidético. Ele, parado na calçada. Eu, passando de carro. Infelizmente, um aidético, hoje em dia, já não é surpresa. Mas foi. Como se fosse o primeiro aidético que eu testemunhasse. … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

O Amor – Fábio de Melo

Há pessoas que nos roubam… Há pessoas que nos devolvem. A presença do outro nos indica o que somos. Relações saudáveis são relações que nos devolvem a nós mesmos – e, o melhor, devolvem-nos melhorados O amor talvez seja isso. … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Inventário do Ir-remediável

(…) Foi de um de nós que partiu a morte, ou ela já nascia involuntária como a madrugada por trás dos vidros? Olha em torno, o vazio do olhar fundindo-se com o vazio da sala. As pessoas, máscaras penduradas em … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Caio, um Alceu

Sinto, Hildinha, a necessidade de penetrar numa outra dimensão, num outro nível de existir. Têm me doído o corpo e suas solicitações. Também não quero negar a carne, sei que esse corpo nos foi dado é para que o usemos … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Fragmentos do texto do Réquiem…

(…) Eu chorava, no começo eu chorava e não entendia, apenas não entendia, e não entender dói, e a dor fazia com que eu chorasse (…) Eu sentia saudade, no começo, uma saudade apertada (…) Não, não foi um dia … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Réquiem…, by Pedro Ivo

As fotos foram tiradas em janeiro de 2003, pelo Pedro Ivo, umas dessas pessoas/parceiros que aparecem para nos ajudar e somem, sem deixar rastro. Não são os primeiros registros da peça, mas é como se fosse.   

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Ainda sobre os tais finais.

      Recebo a ligação de um amigo exaltado com os dois finais baianos da Bicha Oca. Emprestei  os DVDs para que ele visse e esboçasse sua opinião. Abaixo um trecho da conversa: (…) Com o João você finalmente … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário